Reservas: (11) 7891-9641 / Rádio 9*11321 / (11) 7752-2937 / Rádio 107*85 / (11) 4658-1433 / (11) 4658-1340 / (11) 99643-9050
Rod. Dom Pedro I, km 29 - Bairro Água Branca - Igaratá - SP (localização)
Youtube

Igaratá age em prol da preservação dos patos selvagens.

As inúmeras espécies de animais que você encontra no Spa Igaratá não só vivem em habitats totalmente adequados, como também recebem todos os cuidados necessários por meio de profissionais especializados.

Um bom exemplo disso são os patos selvagens, que nasceram no próprio spa e habitam o seu lago. Contribuindo para a reprodução e o aumento de exemplares dessa espécie – que hoje se encontra quase em extinção – o Igaratá possui um grupo formado por dezenas de animais, que são livres para voar e, porque não, para colonizar novas áreas e assim aumentar a sua distribuição geográfica através da ocupação de rios e outros lagos da região.

Saiba um pouco mais sobre os patos selvagens.

Pato8Conhecido popularmente como pato do mato, cairina ou pato selvagem, a Cairina moschata (L.) é uma ave aquática de grande porte originária da região neotropical, comum na maior parte do Brasil. Maior do que o pato doméstico, ele possui o corpo preto com uma faixa branca na parte inferior das asas, visível quando em voo.

Devido ao seu hábito alimentar – raízes, sementes, plantas aquáticas e pequenos invertebrados – ele tem uma importante função ecológica na dispersão de sementes de plantas, além de atuar no controle biológico de insetos e pequenos animais, contribuindo dessa forma para o equilíbrio do ecossistema.

Os ninhos podem ser feitos em partes ocas das árvores, nas margens das matas ou ao redor dos lagos. O período reprodutivo vai de outubro a março de cada ano e as fêmeas postam até 15 ovos. Logo ao nascerem, após um tempo de incubação que varia de 28 a 32 dias, os filhotes saem do ninho ao serem chamados pela mãe e a seguem até o corpo d´água mais próximo.

Por causa de seu grande porte e a, então, abundância em lagos e rios, o pato selvagem foi muito predado para uso na alimentação. Com isso, ao longo do tempo, a população nativa teve uma drástica redução e atualmente sua ocorrência em meio natural é cada vez mais rara.

 

« Voltar